Astrologia Astrologia Cabalística Blog

Câncer – compreendendo as emoções do signo

Câncer
Escrito por Cristinna Saviani

Câncer – O caranguejo possui uma capa protetora, uma couraça que o protege dos perigos do mundo, e assim é o canceriano, sempre andando com seu esconderijo nas costas.

Ao menor sinal de perigo ele se esconde em sua concha e só sairá de lá quando se sentir seguro novamente.

Pode viver em terra firme, mas onde se sente confortável é na água – o seu elemento.

É no reino das emoções o território que lhe é apropriado.

Câncer sente – e o sentimento é tão forte para este signo que eles se apegam a eles, não deixam ir.

Por este motivo o canceriano é tão apegado ao passado – não é bem pelas coisas ou pessoas, mas pelas preciosas emoções que vivenciou.

Sua água são as águas uterinas, a água com a qual se identifica, já que é o signo ligado à maternidade, regido pela lua, o planeta de Yesod.

O instinto auto protetor muito forte de Câncer, inclusive esta tendência a se enfiar em sua couraça, é a falta que sente do ventre materno.

O seu ambiente ideal, onde se sentiu mais seguro, protegido, amado e nutrido foi na fase intrauterina, e por isso, quando assustado ou magoado se volta para dentro de si – fica ensimesmado.

Câncer – a ligação com a Lua

Como é todo água, é mais sensível às fases lunares – lunáticos poderíamos defini-los.

Em um paralelo científico, a água afeta as massas de água do planeta terra (malkut – nosso corpo físico), e cientificamente comprovado, o corpo humano é composto por 72% de água.

Nossos sensíveis cancerianos são afetados pela Lua de maneira muito peculiar, muito particular. São ligados a ela mais que qualquer outro signo.

Temeroso das coisas que ainda não conhece, das emoções que ainda não sentiu, ele dá um passo para frente e dois para trás.

Isso se deve ao fato de que ele precisa encontrar a segurança das emoções conhecidas e vividas para se encorajar rumo ao futuro, ou mesmo o presente.

Não se esqueçam – embora possam viver em terra, ou melhor, areia, não é o território onde se sentem seguros, e por isso preferem a terra fofa – onde podem cavar e se esconder.

Se escondem em seu mundo de emoções, e também o faz com o mundo material – e por isso são seguros com o dinheiro.

Precisam acumular seus tesouros para que neste território que não domina – a terra – ele possa encontrar sua segurança.

Câncer – ponto de vista cabalístico

São ligados às tradições porque são ligados ao lugar de onde vieram – ao útero – ao início de tudo.

Do ponto de vista cabalístico são ligados à grande mãe, já que o caminho de Chet parte de Binah – Saturno.

No zodíaco natural dominam sobre a casa quatro, o fundo do céu – a representação das nossas bases familiares, nossa família, ancestralidade e tradições – de onde viemos.

Casa quatro – Fundo do Céu

Baseados na nossa casa 4, investidos das experiências de nossa casa quatro, definimos para onde vamos – casa 10, e por este motivo, problemas não resolvidos neste território afetarão a maneira como desenvolvemos nossa projeção social e também nossas habilidades sociais.

A casa onde temos câncer, em nosso mapa astral, mostra a área da vida onde nos sentimos mais inseguros e temerosos, onde precisamos de segurança mais que outras.

Para dominar os assuntos desta casa é preciso que se trabalhe mais que qualquer outra os nossos medos mais profundos e também as crenças limitantes que trazemos em nosso DNA, de nossa ancestralidade, os medos e crenças familiares.

Nesta casa é preciso que dominemos os instintos primários de Câncer, para desenvolver os assuntos desta casa de maneira adequada e progressiva.

Para saber câncer é necessário mergulhar em seu universo emocional, onde coisas não podem ser explicadas – apenas sentidas.

Prontos para mergulhar no território das emoções?

Por hoje é isso.

Shalom!!!

Ariel bar’Zlay

Sobre o autor

Cristinna Saviani

Cristinna Saviani tem sua formação clássica em Farmácia e Bioquímica pela PUCC, com foco em Homeopatia, Fitoterapia e Florais.
Estudante e praticante de Cabala desde a adolescência, iniciou seus estudos de astrologia como autodidata em 1997, posteriormente fazendo vários cursos de formação na área, na qual tem atuado profissionalmente desde o ano de 1999.
Acreditando que a maior qualidade da astrologia é levar o indivíduo ao autoconhecimento e consequente evolução, aprofunda a análise de seus clientes em todos os níveis disponíveis para que se chegue ao cerne das questões que inquietam e atrapalham a vida nos diversos campos da vida.
Natural de Campinas - SP, vive atualmente em Fortaleza, onde atua
na área de publicidade (CEO Staff Publicity), programação web, marketing e astrologia, fazendo análises de tema natal, previsão e mapa anual de fertilidade feminina.

Deixe um comentário